BIBLIOTECA

04/11/2014 - 15:12 - Por Priscilla Ataide

Carlise Porto Schneider Rudnicki, Paulo Dabdab Waquil, Chaiane Leal Agne - REDES - Revista Des. Regional, Santa Cruz do Sul, v. 19, nº 2, p. 224 - 241, maio/ago. 2014

No Rio Grande do Sul, na região do Vale do Rio Pardo, o tabaco é uma fonte de renda dos agricultores e de famílias carentes da região. No meio acadêmico, o debate sobre a produção do tabaco envolve: os problemas que o cigarro pode causar à saúde humana e o papel que os agricultores desempenham na cadeia produtiva. Diante destas discussões, este trabalho teve como objetivo entender a relação de confiança (produtor de tabaco e instrutor técnico agrícola) nas 
regiões do Vale do Rio Pardo e zona sul do Rio Grande do Sul. O estudo foi caracterizado como quantitativo (escala de Likert) e qualitativo (diário de campo e observações). Foram realizadas 142 entrevistas com produtores de tabaco, com o auxílio de um formulário semiestruturado e diários de campo. Considerando-se “concordo” e “concordo totalmente”, a confiança dos agricultores no orientador foi similar nos três municípios: na zona sul do Rio Grande do Sul, em Dom Feliciano, a confiança é de 69,7%; no Vale do Rio Pardo, em Rio Pardo e Santa Cruz do Sul, respectivamente, a confiança é de 63,3% e 64,6%. Há relação direta entre confiança no orientador e integração. A informalidade, concretizada na figura do orientador técnico, gradativamente está sendo substituída pelos contratos formais. Contudo, a informalidade expressa pelas relações de parentesco e amizade foi pertinente para a consolidação da confiança.

Matéria completa
#
04/11/2014 - 11:53 - Por Priscilla Ataide

Cidonea Machado Deponti, Sergio Schneider - Revista Ideas / Interfaces em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade

O objetivo principal deste artigo é analisar a ação da extensão rural no processo de diversificação produtiva da agricultura familiar em Dom Feliciano-RS. Para tanto, buscou-se compreender os diferentes significados atribuídos à cultura do tabaco pelos agricultores e suas diferentes concepções de diversificação produtiva. Utilizou-se como técnica de coleta de dados a observação participante e a aplicação de 40 entrevistas com base em roteiro semiestruturado. Concluiu-se que há um paradoxo – os que mais necessitam de  assistência técnica são os que menos acessam o serviço. A ação da extensão rural ainda está focada na intervenção, propiciando poucas relações de interface e de mediação social. A idéia de um modelo único de produção e de intervenção para uma realidade social tão diversa é falha, pois, embora os agricultores tenham em comum o fato de serem produtores de tabaco, esta homogeneidade de cultura produtiva não implica, por consequência, uma homogeneidade social das unidades produtivas e menos ainda dos projetos e dos desejos dos membros das famílias. 

Matéria completa
#
01/10/2014 - 09:47 - Por Priscilla Ataide

Ezequiel Redin, Daniel Junges Menezes - REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA - 34 REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 Volume 14 - Número 1 - 1º Semestre 2014

O trabalho objetiva descrever e analisar a produção de tabaco no Território Centro Serra sob aperspectiva das mudanças espaciais, no período de 1991 a 2010. A dimensão utilizada refere-se a quantidade produzida (ton) de fumo em folha, nas últimas duas décadas, segundo dados da Fundaçãode Economia e Estatística do Rio Grande do Sul (FEE DADOS). O estudo possibilitou identificar queno primeiro quinquênio o município de Sobradinho destacou-se na produção de tabaco na região,sendo que a partir do segundo período, Arroio do Tigre torna-se o principal produtor de tabaco doTerritório Centro Serra, em boa parte, devido às emancipações originárias de Sobradinho e ocrescimento da produção local. A região de Salto do Jacuí e Jacuizinho são os produtores de tabacomenos expressivos. Por fim, verifica-se que o território tem significativa participação na produção detabaco, sendo uma das principais estratégias econômicas das unidades de produção, no entanto, issonão elimina outras atividades agrícolas e não agrícolas, fornecendo ao Território Centro Serra umleque de diversidade produtiva e de renda no rural.

Matéria completa
#
26/09/2014 - 10:32 - Por Priscilla Ataide

Men`s Health

Conheça os artifícios usados pela indústria do tabaco para laçar novos fumantes. E caia fora dessa armadilha!

 

Matéria completa
#
24/09/2014 - 11:00 - Por Priscilla Ataide

Sérgio Boeira, Paula Johns/2007 - Revista Internacional Interdisciplinar INTERthesis, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1807-1384

O objetivo deste artigo é apresentar uma introdução à história da indústria de tabaco e do confronto entre sua rede social de stakeholders e a rede liderada pela Organização Mundial da Saúde, enfatizando-se a situação brasileira e o papel da Aliança de Controle do Tabagismo (ACT) como articuladora de uma multiplicidade de stakeholders contrários às estratégias da indústria no Brasil. O artigo busca delinear a problemática correlação entre produção, exportação e combate ao consumo de tabaco tomando como referência a aprovação, em fevereiro de 2005, do primeiro Tratado Internacional de Saúde Pública (Convenção-Quadro de Controle do Tabaco). O texto parte de uma base de pesquisa que resultou em tese de doutorado em 2000, e que vem sendo atualizada por meio de artigos com pesquisa documental desde então, visando monitorar o desdobramento desta temática que é central nas políticas públicas de saúde.

 

Matéria completa
#
24/09/2014 - 09:22 - Por Priscilla Ataide

Joel Orlando Bevilaqua MarinI; Sergio SchneiderII; Rafaela VendruscoloIII; Carolina Braz de Castilho e SilvaRevista de Economia e Sociologia Rural - Rev. Econ. Sociol. Rural vol.50 no.4 Brasília Oct./Dec. 2012

O objetivo do artigo é analisar a emergência do problema do trabalho infantil no cultivo de tabaco em Agudo, desencadeado pela promulgação do Decreto n. 6.481/2008, que trata das piores formas de trabalho infantil. Os procedimentos metodológicos utilizados foram a revisão bibliográfica, pesquisa documental e um estudo de caso, realizado no município de Agudo, Rio Grande do Sul. No estudo de caso, procurou-se obter dados quantitativos e qualitativos, por meio de questionários e entrevistas abertas, dirigidos para 27 agricultores familiares fumicultores, com filhos com menos de 18 anos de idade. Os resultados da pesquisa indicam a existência de um confronto entre diferentes concepções sobre o trabalho da criança no âmbito da agricultura familiar. Os dispositivos legais, os termos de compromissos e os contratos de integração na cadeia produtiva do fumo proíbem o trabalho de menores de 18 anos, fundamentando-se nos princípios internacionais da garantia do pleno desenvolvimento das crianças. Na perspectiva das famílias, o trabalho das crianças é entendido como 'ajuda', forma de socialização e formação dos herdeiros. Portanto, os pais não concordam que se trata de uma forma perversa de exploração do trabalho dos próprios filhos.

Matéria completa
#
23/09/2014 - 16:50 - Por Priscilla Ataide

Marco Antonio Vargas, Bruno Ferreira de Oliveira - Rev. Econ. Sociol. Rural vol.50 no.1 Brasília Jan./Mar. 2012 Revista de Economia e Sociologia Rural

Este trabalho apresenta um panorama dos aspectos socioeconômicos do cultivo do tabaco no Brasil e analisa a viabilidade de outras culturas agrícolas em relação à produção de fumo a partir de evidências empíricas oriundas de uma pesquisa de campo que envolveu uma amostra de 299 produtores rurais na região do Vale do Rio Pardo, no Rio Grande do Sul. Os resultados encontrados demonstram que a renda líquida advinda de culturas alternativas ao fumo, como hortifrutigranjeiros, pode ser superior à obtida por fumicultores. Tais evidências contradizem as análises comparativas envolvendo fumo e demais culturas agrícolas geralmente veiculadas pela indústria fumageira. Adicionalmente, o estudo destaca que qualquer iniciativa específica de diversificação da cultura do fumo deve estar inserida em programas amplos de desenvolvimento rural, particularmente nas regiões/municípios que têm alta dependência em relação ao fumo como a região em questão.

Matéria completa
#
23/09/2014 - 14:30 - Por Priscilla Ataide

Revista de Saúde Coletiva - Physis vol.24 no.1 Rio de Janeiro Jan./Mar. 2014

A diversificação agrícola em áreas de cultivo do tabaco é uma das propostas da Convenção-Quadro, considerada o primeiro tratado internacional de saúde pública da Organização Mundial da Saúde. O objetivo deste estudo é evidenciar e discutir as dificuldades e potencialidades referentes à diversificação agrícola e substituição ao cultivo do tabaco entre representantes do Estado, de organizações da sociedade civil e da própria indústria, em região produtora do Sul do Brasil. Foi desenvolvido estudo do tipo etnográfico com realização de 42 entrevistas semiestruturadas, com famílias de agricultores e informantes-chave, além de observação participante das famílias, em localidade rural do estado do Rio Grande do Sul. Há políticas públicas potencializadoras da diversificação, como crédito agrícola e assistência técnica, mas elas ainda não atingiram os fumicultores pesquisados. Conclui-se que a ampliação e direcionamento de políticas públicas e o resgate e fortalecimento da agricultura familiar são essenciais para a diversificação agrícola e substituição do cultivo do tabaco proposta pela Convenção-Quadro.

Matéria completa
#
20/08/2014 - 15:02 - Por

Patrícia Kranz, Paula Johns, Schuma Schumaker - 03/2011 REDEH - Rede de Desenvolvimento Humano e INCA - Instituto Nacional do Câncer

Este manual integra uma série que vem sendo produzida pela Rede de Desenvolvimento Humano (REDEH) como parte do material didático utilizado na formação de lideranças da sociedade civil para atuarem como agentes da prevenção e da promoção da saúde.

 

Matéria completa
#